Destaque da semana

Loading...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

O Sertão cor de Rosa

Clederson Montenegro - Astrólogo






Quando os alemães conheceram Grande Sertão: Veredas e souberam que aquele mundo existia de fato, tiveram um impacto. Estavam convencidos de que o sertão era uma criação do autor mineiro João Guimarães Rosa, que aquilo só era mesmo possível existir dentro dos liames da fantasia de um escritor. Mas em certa medida, Rosa inventou o sertão sim, poetizou as áridas terras, coloriu jagunços, mistificou e deixou lírica a linguagem bruta dos homens do sertão. Concebeu um outro ou intuiu este sertão que os olhos comuns e cansados não conseguem mais perceber. É que Rosa enxerga ainda com os olhos primeiros, os olhos de quem está vendo tudo pela primeira vez, quando se pode ser lúdico. As primeiras palavras do mundo não eram somente palavras.

Mas onde estaria o planeta Mercúrio, o que simboliza a comunicação na Astrologia, quando nascia João, e o que nos diria desse seu impulso de se expressar por meio da palavra?

Nasceu com um Mercúrio em Câncer, entre o inspirado e escapista Netuno e a artística Vênus (a deusa do afeto, do amor, da delicadeza), em 27 de junho de 1.908, às 06h, em Cordisburgo, Minas Gerais. A conjunção dos três astros no mapa do escritor é retrato do discurso afetuoso, poético e sedutor: um projeto de descoberta da linguagem, com resultado estético. A palavra impregnada de beleza, suave, que sai da fala dos sertanejos, parece-nos mais um som, a música da linguagem que alcança o seu apogeu. Ecos de um mundo que se supõe moribundo reaparece com as cores que só Rosa pintou na Literatura.

Mercúrio em Câncer vai buscar inspiração na memória, no passado, no registro das primeiras palavras, sem os vícios da linguagem comum, sofrida nos desgastes do dia-a-dia. É nesse reino, só nele, que a palavra em João esta segura, só naquilo que lhe é familiar. Portanto, é o resgate do significado primordial da palavra que ele alcança. E sua expressão tenta recuperar aquela memória afetiva que esta sempre nos mordendo - certamente Rosa não era muito falante nem verborrágico como Riobaldo, o herói de sua obra máxima "Grande Sertão: Veredas", mas devia registrar e guardar as experiências no seu baú emocional (Câncer). Só falava ao se sentir seguro, fora isso, ele preferia o silêncio e arquivava cada som, cada palavra. Eram as impressões e a carga subjetiva que realmente lhe interessavam.

Câncer astrologicamente representa a família, a intimidade, o arquivo emocional de um indivíduo. Mercúrio no universo canceriano vai querer fazer disso um discurso. A sua linguagem é tão emocional que é caótica (Mercúrio retrógrado) - porque nos nossos registros afetivos, as coisas ainda não estão pensadas, só sentidas - e é só o pensamento que é capaz de ordenar, separar e traduzir. A tentativa, no entanto, do mineiro autor era por uma ordem nesse enovelado de impressões alógicas, e recriar uma realidade, mimese de uma outra descolorida. Comunicar para encontrar uma ordem no caos emocional, já que Mercúrio em Câncer está inquietamente acomodado na natureza tão mágica do primeiro signo de água, regido por um luminar, a lua.

A tentativa de compreender era com muita dificuldade, porque a palavra nele era um emaranhado de perguntas, que em Riobaldo se desenrolavam devagar, mediatas. Se estivesse em Gêmeos, Mercúrio se comunicaria com facilidade e rapidamente, encontrando uma ordem no que diz. Não tinha Rosa Mercúrio em Gêmeos, que é de entendimento rápido, ágil e abraça as realidades mais díspares, dando sempre a uma pergunta duas respostas. Nem o Mercúrio em Leão, que explicita, mostra e exibe a linguagem. Em Câncer, ele quer compreender lá por dentro, entender a natureza íntima das coisas, sensibilizar através da linguagem. Eis o seu projeto literário.

Câncer é regido pela Lua, símbolo do sonho, o inconsciente, o conto de fadas. E parece que é assim que Rosa se expressa em Riobaldo, que conta um causo de seu passado, um registro de sua memória. O seu sertão, que só conhecemos pela sua palavra, parece-nos mais um mundo de sonhos. O seu sertão nos é quase irreal. Fábula de alguém cujo dominante é lunar, Guimarães consegue dar atmosfera de conto de fadas a uma realidade povoada de pedras e terras ressecadas. O seu Sertão é encantado. E o que é o seu sertão se não uma linguagem de saber do mundo?

Mercúrio em signo de água é a palavra que flui, nem sempre com coerência (Mercúrio em signo de Terra), nem buscando entender o mundo pelos processos racionais (o que se veria em um signo de Ar), antes quer compreender por vias oblíquas, e muito menos é auto-suficiente (como seria em um signo de Fogo). A palavra simplesmente nos é "revelada" em sua carga de emoção e carrega todas as qualidades do elemento água: é sensível, fluente. Riobaldo - esse arquétipo da Lua - é o herói que conta a sua travessia, ou melhor, escorre e transborda a sua travessia pelos sertões mineiros, até as margens do rio São Francisco. Teria mesmo ocorrido tudo aquilo ou teria o lunar Riobaldo inventado uma narrativa de três dias para acalentar as noites e a solidão de uma terra deslocada no espaço? Seria tudo mesmo uma fantástica ficção da imaginação desse ex-jagunço?

A oposição entre Mercúrio e Urano é outro aspecto que merece relevo no mapa de Guimarães Rosa. Uma oposição é sempre uma tensão, um grito de insatisfação. Urano é o mais excêntrico dos arquétipos astrológicos. Ele rompe com Gaia (a Terra), ao ser castrado por Chronos. Todo planeta que Urano "toca" ganha essa necessidade de romper com o padrão estabelecido, convencional. Insatisfeito com a maneira de abordar e expressar a língua, Rosa elege caminhos não lineares, sinuosos. Rompendo, porque o modelo não mais serve, ele experimenta o retorno ao primeiro modelo (Câncer).

Câncer está simbolicamente associado com a época da fecundação e fertilização. A mente (Mercúrio) roseana abunda em anseios fecundos de uma auto-invenção nessa travessia de Riobaldo. Ele inventa, recria, tentando buscar um modelo ideal, que corresponda ao que no fundo pretendia: experimentar a língua a fim de encontrar a alquimia original que germina em sua casca, antes de ser palavra. Matéria apenas cheia de elementos tão próximos que se pode dizer linguagem em feto. É como se houvessem duas opções: "ou eu invento isso aqui ou eu me retiro de uma vez", e se aventura então nessa inalcançável perseguição épica de significados - é claro que pessoalmente isso deve ter sido um movimento de tensão, e não de harmonia. Entende-se porque a maioria dos leitores estranha tanto João.

O que ele queria alcançar lhe resultou em algo imprevisto. A palavra vai se despir de toda afetação solar, pois ele queria uma revolução lingüística, que abarcasse em cada palavra o todo do Céu infinito, ilimitado em seu poder criativo. Aquele discurso encerrava o mundo todo, mais que isso até, a cosmovisão desse mesmo mundo, intraduzível em palavras, afinal "A vida não é entendível" dirá Riobaldo.

A sua linguagem tem a marca da originalidade de uma expressão (Mercúrio) inconformada (Urano). A linguagem se revolta num esforço de encontrar um significado último que a ampare. Pode-se dizer, sob a ótica da Astrologia, que esse esforço lhe foi malogrado, ele não só não encontra, mas continua tentando, porque lhe era um Ideal.

E, por fim, o que dizer da conjunção de Mercúrio com Netuno? Falar é fugir do real-sensível, é um mergulho no reino da fantasia, da criação. A palavra, a razão (Mercúrio) desacostumada a adentrar no reino da fantasia (Netuno) emerge colorida, em êxtase, inspirada. Mas não se engane, que o véu não será descortinado, já que a conjunção não é com o Sol: vela mais que revela. Impressiona mais do que diz. Certamente, era sempre assim que Guimarães entendia, interpretava e transmitia as coisas em sua volta. Era o universo intuído e percebido que o interessava. A linguagem era mítica - já que a realidade será um convite a uma fuga para um universo de símbolos, do imaginário, de elementos amorfos. A mente de Rosa escapou para um mundo onde o significado está naquilo que se inventa - Rosa fabrica um mundo de sonhos, coloca lentes cor-de-rosa para entender (Mercúrio) e para expressar o seu universo Sertão. Rosaceou o sertão de Riobaldo, o Rosa - diria o João.

Clederson Montenegro é astrólogo.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

MILITARES NORTE-AMERICANOS INTERESSADOS EM IMAGEM CAPTADA DA COSTA PORTUGUESA

Uma fonte altamente colocada, informou-me e cedeu-me imagens de uma zona específica da costa portuguesa que está a ser "vasculhada" pelos satélites militares norte-americanos. Recebi por e-mail, uma interessante informação, sobre uma formação não natural na costa de Portugal, bem próximo a Lisboa, em Oeiras, que fica próximo de Sintra.

Rodrigo Romo

25 de Agosto de 2008






A razão é simples: após várias "passagens" sobre Portugal da Estação Espacial Internacional, e tendo sido feitas pelos astronautas norte-americanos, milhares de fotografias da costa portuguesa, depararam-se com a situação insólita de que, próximo de Lisboa, mais propriamente no fundo do oceano, em frente a Oeiras a escassas centenas de metros de distância do comando Ibero Atlântico havia algo perturbador no fundo do mar: a existência de uma "formação extremamente anómala", aparentemente de origem geológica.



De imediato satélites com detectores de infra-vermelhos e de "mapeamento" geológico foram "deslocados" para efectuarem várias "passagens" de rasteio daquela zona marinha.



Com os elementos obtidos chegaram a várias conclusões:



- existe uma formação "criada" artificialmente e não geologicamente (apesar de, a escassa distância, existir uma linha de "fractura");



- esta "formação" que está a poucas dezenas de metros de profundidade, é recente (provavelmente com poucas centenas de anos) e a sua formação não pode ser atribuída a uma construção feita por humanos, uma vez que o fim da última glaciação, que fez subir o nível dos oceanos, foi há milhares de anos;

E agora o mais interessante:



- que esta "formação" não é mais do que uma "depressão" perfeitamente simétrica feita por "um objecto artificial" de grandes dimensões e pesando milhares de toneladas.



Uma análise feita pelo Sr. Luís Correia, quanto às reais dimensões da "depressão" determinou os seguintes valores:



Aqui é possível, ter uma noção do tamanho e da área ocupada pela estrutura, o que nos relembra as fotografias em solo marciano. Existem imagens muito similares que até ao momento, os cientistas têm tentado nos iludir, sobre formações naturais, que não podem ter sido geradas, da mesma forma que esta estrutura que estamos a ver no momento. Portanto, todos podem usar o bom senso e procurar pesquisar sobre o assunto, indo às universidades e aceder à net, a imagens e a satélites, para tentarem uma nova informação, que acredito, seja controladas e em muitos casos, limitadas ao nosso acesso. De qualquer forma nos cabe pensar, sobre a questão, pois seja o que for, está activo, devido as pesquisas sensoriais, vou solicitar a vários amigos canais, aqui de Portugal, que efectuem, uma sondagem psíquica, para inserir mais material posterior.








Outra visão da mesma base ou nave que deixou ou reside no local. Notem que estamos falando de algo bem próximo a costa de Portugal, próximo à saída do Rio TEJO.



Com Base nisso podemos efectuar nossas conjecturas, aproveito para inserir um texto que fiz nesta madrugada, quando acordei de uma visita ao local em projecção.

Uma Base Intra-Oceânica.



Em muitas das canalizações de muitos seres espirituais do mundo, temos tido informações sobre essas bases, ou sobre as intra-terrenas, mas sempre sem provas evidentes de sua existência. No entanto, agora podemos efectuar conjecturas sobre esse tema, com as imagens de satélites norte americanos, que efectuaram uma varredura no litoral de Portugal.



Lembrando que as pessoas ligadas a espiritualidade, em Portugal, tem em muitas oportunidades, indicado que em Sintra, existe algum aspecto espiritual, algo subtil, ligado a portais e ao Palácio da Pena, além das Ruínas Mouras ao lado. Além disso, temos percebido uma forte egrégore ligada a energias mais profundas. Numa conferência, Shtareer disse que no litoral próximo a Lisboa, existia uma base de antigas civilizações que tem relação com activações espirituais e intra-terrenas, que por sua vez, fazem a conexão com os portais de LIS-FATIMA, que é um dos maiores focos de luz e sustentação das Colunas Crísticas, como foi descrito por YASLON YAS, na conferencia de Portimão / Algarve, no dia 18 de Agosto, na qual ele fez uma descrição sobre os portais e o significado de Liz-Fátima, Lourdes, Algarve, Gibraltar, Madeira e de outros importantes centros de activação das colunas Crísticas, da antiga malha de memória estelar da TERRA-GAIA, que tem importante papel, dentro do processo de despertar da humanidade, sendo que no caso, em especial sobre a activação da Península Ibérica, que esta a representar um importante papel neste momento.



Esta geometria que aparece na foto dos satélites, representa na realidade, uma das antigas e modernas naves MÃE, que temos visto em nossos filmes de ficção, e que têm sido descritas, por muitas pessoas em suas canalizações e referências em hipnose, quando elas registraram abduções e outras formas de contacto com entidades designadas como extra-terrestres.



Podemos efectuar importantes conjecturas, uma vez, que segundo as informações prestadas pelos técnicos dos satélites, existe a afirmação, que essa falha ou geometria, não pode ser natural, ou seja, não foi criada pela natureza. Resta então aos pesquisadores efectuar algum tipo de pesquisa directa, pois a profundidades do local, sugere algo em torno de centenas de metros, o que não foi esclarecido, mas por estar, nas margens de Lisboa, podemos falar em uma região não muito profunda, o que permite a utilização de recursos técnicos submergíveis, para se efectuar uma análise mais técnica. Assim estaríamos dando início a uma nova etapa sobre as informações. Ou poderia ser classificada depois, como uma antiga construção, que nos reportaria a antiga civilização da ATLÂNTIDA, ou então algo mais misterioso, caso seja considerado como uma cidade ou construção.



Pela telemetria que se observa, vemos dimensões bem grandes para uma cidade do passado, que teria levado muitos anos para ser construída, alem disso a simetria, nos lembra directo uma nave, ao estilo das naves piramidais de STAR WARS, onde podemos recordar antigos registros das guerras, ligadas a grande Rebelião da descendência de Lúcifer e de seus Filhos renegados Satã, Molock, Yawh, Odin, Cronos, Zeus, Ishitar, e muitos outros, que fazem parte da primeira descendência directa ou indirecta do Lanonadeck Criador Lúcifer, que apresenta interessantes aspectos dentro das canalizações pelo mundo.



Isso porque em muitos registos, como na "Sonda de Acturus" de Jose Arguelles, na "Agenda Pleiadiana" de Barbara Andclow, temos referências a ele como sendo um ser de muita luz de 6D, que teria gerado sem intenção, filhos que acabariam por criar uma dualidade desequilibrada, que tem relação com o que nós entendemos, como anjos caídos e a nossa situação, bem como a destruição de Maldek e de outros mundos antigos. O interessante é o aspecto, que em outras canalizações, SHTAREER, nos informa, que na estrutura universal, isso é parte de um holograma real, que foi gerado a partir de uma outra realidade entre 13D a 16D, vibrações de onde Lúcifer opera como dirigente do quadrante de Satânia, o que afirma muitas das canalizações dessas outras pessoas.



No entanto a relação com essa imagem, nos faz buscar sobre os registos da estrutura e da ficção de George Lucas, pois pelas dimensões apresentadas, temos uma forte lembrança com as naves imperiais do filme. Do ponto de vista energético, submeti as imagens a sensitivos, e a resposta foi um forte arrepio mediúnico, como uma força muito grande, que de inicio não foi possível detectar, se positiva ou negativa, mas que existe vida activa, foi a resposta.



Nesta noite 3,15 AM do dia 25/08/2005, fiz uma visita ao lugar e pude detectar vida inteligente, além de um alto grau de robótica operacional, dentro das dependências dessa estrutura. Os seres são de uma realidade de energia que pode ser enquadrada de 4D. Missão de sondagem e análises do comportamento humano e de experiências com implantes com as pessoas da Península Ibérica.



Não se trata de seres malvados ou não confederados, mas de pesquisadores do processo evolutivo dos seres humanos e da forma de activação dos médiuns e das energias dos Mestres dentro da nossa civilização. Não consegui de imediato uma leitura mais profunda, pois eles não querem uma divulgação de sua presença, devido a estarem actuando de forma paralela a muitas entidades da espiritualidade de Portugal, que começa a despertar as pessoas aqui em Portugal. Acredito e sinto, que com esta matéria, muitas pessoas ligadas a meu trabalho e de outras pessoas, poderemos ter uma identificação mais profunda do grau de energia real que esses visitantes de quadrante de ORIONIS estão realmente a efectuar.



Não notei actividade bélica, mas muita reserva a minha presença, devido as suas actividades e a forma como foram identificados recentemente, e como isso esta repercutindo dentro do Pentágono Norte Americano, pois trata-se de mais uma evidência, de que não estamos sós na TERRA, alem de ser mais uma outra base ou nave mãe, localizada nos oceanos nos últimos 15 anos, pelo nosso sistema de rastreamento via satélites. Pretendo efectuar mais visitas desta vez em outros corpos mais subtis, para poder informar melhor, no momento 4:26 AM, sinto que a egrégora de advertência deles devido as sondas norte americanas, e a actividades de submarinos militares está deixando-os mais atentos pois eles sabem, que a nossa postura frente ao desconhecido muitas vezes não é algo muito harmónico.



Bom, pela manhã, espero ter mais informações que ajudem a termos um esclarecimento mais profundo do real significado dessa base na costa Portuguesa e da relação dela com os focos de luz dos mestres ascensos, entre eles o de LIZ que representa um santuário de activação da energia de memória Crística da Terra-Gaia, da época em que ela era activa, sem a actual barreira de frequência de isolamento que foi inserida sobre a Terra, na época das antigas guerras, entre Deuses (Anjos Caídos), seres humanos (civilizações mais avançadas) e dos Arcanjos (Comandantes da Luz), que fazem parte das antigas referências de muitos povos. A nova informação sobre a memoria Crística, se reformula, agora para os registros da TERRA-GAIA como um ser vivo, que está passando pelo processo de activação, junto com a sua actual humanidade, e outras formas de vida, que estão de diferentes modos, sendo activados e despertos para uma nova etapa do processo de vida e relação com as outras dimensões superiores da vida e do universo.



Fiquem na paz. Rodrigo Romo, Ericeira, 4:33 AM. Portugal

terça-feira, 4 de agosto de 2009

O VOSSO MAIOR CONTRATO


A prioridade de cada um de vós neste momento é consigo mesmo. Trabalhem os merkabas para se limparem, para removerem as culpas e o medo para que possam cumprir os compromissos firmados com a vossa hierarquia maior.

Alguns de vós se colocam numa situação de exilados na Terra, outros de missionários, outros ainda de comandantes presos na Roda de Sansara, e assim por diante. A verdadeira condição de vocês é que são Luz perdidos nas Trevas e a Luz deve retornar à Luz.

Vocês assumiram o compromisso de se fundirem com o vosso Eu Superior. Esse é o maior contrato de vocês: com vocês mesmos. Ou seja, de serem Luz e merecedores dos esforços da vossa hierarquia espiritual para que isso se realize.

Á medida que vocês realizem as meditações, se purifiquem, limpem os miasmas, mas próximos estão da harmonia e consequentemente mais fácil é o processo de transição para as esferas mais sutis.

Quanto mais vocês se dedicarem ao vosso processo interno, mais fácil será o entendimento dos processos que estão a passar. Sabemos que alguns aspectos são difíceis para vocês já que estão há muitos anos presos na roda encarnacional da Terra. Muitos hologramas interferem na vossa realidade material pelos aspectos sociais aos quais estão submetidos. Sabemos que vocês se colocam contra alguns desses aspectos para poderem seguir a jornada espiritual. Não esqueçam que os próprios aspectos sociais estão caindo por terra.

Vocês no país Brasilis tem o privilégio de viverem em uma sociedade com grande liberdade cultural, situação que poucos outros países possuem. Vocês tem a possibilidade de terem uma opção religiosa ou filosófica com menos críticas. Muitos países não oferecem isso.

Aproveitem que vocês já possuem essa liberdade para potencializarem vossos estudos e o trabalho que necessitam para melhorarem a qualidade frequencial de vosso ser, da vossa alma e do vosso corpo Físico de forma que estejam aptos ao entendimento para as etapas futuras.

Merkabas e nomes que são falados nas sintonizações e que não constam no material: nestes casos, os nomes são para a hierarquia trabalhar, não para vocês.

Partículas a resgatar explicadas na sintonização do UP GRADE: Não são vocês que resgatam essas partículas. Ao se trabalharem e entrarem na freqüência, vocês entram na mesma sintonia e desta forma ocorre o “resgate” pela hierarquia que controla este processo.

Vocês não são capazes de resgatar uma partícula que esteja encarnada em 6D. Por exemplo, uma partícula vossa está encarnada em uma estrela de Plêiades em 7,7D, na forma reptiliana anfíbia aquática. Ela não possui ressonância com a Terra, nem você com ela. Dessa forma o vosso Eu Sou gerencia a freqüência psíquica de ambos (assim como das outras realidades paralelas). Os vossos mentores espirituais interagem com o vosso Eu Sou e as outras freqüências e verificam o momento em que as vossas consciências podem ser reintegradas a este Eu Sou. Quando ambas as partículas estiverem na freqüência certa, ocorre a reintegração consciencial.

No momento do desencarne de cada uma, são levadas em estado ascensional ao gradiente do Eu Superior. Ou seja, vocês devem se colocar a disposição dessa energia de reconexão.

Entendam que o vosso Eu Superior se subdividiu em milhares de partículas que estão em diversos níveis frequenciais e realidades paralelas, tanto na Terra como fora dela. O Eu Superior deve reintegrar 80% de suas partículas para que possa transcender para uma próxima etapa. O restante, 20% pode ser desintegrado atomicamente ou reintegrado a um outro Eu Superior.


Desdobramento de corpos: Alguns assuntos o Yaslon não aborda ainda, pois são de difícil compreensão. Vocês possuem além do corpo Físico, dentro da Barreira de Freqüência, os corpos sutis, até o Átmico. Isso vocês já entenderam, verdade? Pois bem, cada um desses 9 corpos pode se frequenciar na Terra em 77 ou 99 . Isso significa que cada vez que vocês emanam uma forma pensamento, você desdobra a vossa energia, criando uma outra realidade.

Por isso quando vocês param de emitir formas pensamentos destrutivas, eliminam uma forma de serem atacados, uma vez que vossa energia não está dispersa desnecessariamente.

Quando uma pessoa produz energia de ódio, de raiva etc, despende uma parte do seu ser, desdobra uma parte de sua consciência e do seu corpo Astral ou Emocional, conforme a freqüência. Ao efetuarem as limpezas energéticas do planeta, essas formas pensamentos desarmônicas devem ser limpas e assim, partes de vocês são eliminadas.

Por isso sugerimos os merkabas de limpeza dessas formas pensamentos, para que vocês “resgatem” essas partes, para limparem as vossas co-criações desarmônicas. Dessa forma, anulam a vossa participação na “poluição energética” planetária e não ficam suscetíveis a malha de controle. Deveriam limpar diariamente o que foi emanado por vós durante o dia.

Esse é um dos motivos da linha Oriental recomendar o silêncio, tanto verbal como mental, para não desperdiçarem a vossa energia e vitalidade frequencial.

Mesmo que vocês não tenham a total consciência, ao estarem com o Físico trabalhando em algo, os outros corpos estão simultaneamente realizando outras atividades. Vocês sempre estão trabalhando nos níveis sutis

Ou seja, vocês possuem realidades paralelas encarnacionais e psíquicas das formas pensamentos que emitem.

Conceito evolutivo: O conceito evolutivo para muitos está equivocado. A evolução é o aprendizado do poder co-criacional, o que é co-criar em Deus e com Deus, independente de estarem na época das cavernas ou nas sociedades ultra tecnológicas. Um ser de uma sociedade assim pode ser mais aprisionado do que um homem das cavernas, uma vez que este tem intuição, interação com a natureza.

A evolução não é a tecnologia como muitos pensam, mas o poder espiritual sobre a matéria.

Por isso os seres da Confederação atuam com o espírito e não com a tecnologia. Por isso o Comando Ashtar trabalha em plano sutil e não na matéria. Não é papel da Confederação baixar as naves na Terra e se apresentarem. Isso são os seres não-confederados que fazem, pois eles precisam provar algo a vocês. Ashtar, Alcon e outros não precisam provar nada, pois estão ajudando outros a despertarem na mesma freqüência.

A evolução que falamos é do espírito, independente da matéria. Vocês podem evoluir como desencarnados, como vocês dizem. Para nós, é a mesma coisa. Não vejo diferença entre vocês em corpo Físico ou sutil, pois continuam sendo uma consciência ativa. As entidades que vos acompanham como os Caboclos, Exus, Lebaras, Pretos Velhos, estão no nível sutil e continuam evoluindo e eles sabem disso.

Evolução é a entrega do coração ao Plano Maior, o entendimento das leis cósmicas em vosso coração e a colaboração ao Plano Divino em vossas vidas, para que outros seres possam absorver esta energia. Isso é dar ao próximo como a si mesmo.





Por Rodrigo Romo – Yaslon Yas