Destaque da semana

Loading...

terça-feira, 30 de outubro de 2012

CaP 4 ________ A Paz dos Mestres


                                                             *
                                                          *     *


Diário de bordo n° 025
Protocolo 17
Comando 916 ___ ConfidenciaL
_______________________________________________________________________



Cerca de meia hora depois de termos vivido aquele momento de especial contacto com as Energias Cósmicas começamos a caminhar pela praia. Tranquilamente, como dois bons amigos conversando sobre as coisas da vida. O sol estava brilhando mais do que nunca. O dia havia nascido, O céu azul com pucas nuvens refletia no azul do mar, dando- nos a impressão de estarmos imersos em um imenso globo azul celeste. Uma paz serena invadia nossos corações. Entre tantas emoções extraordinárias que estavam se desenrolando, o silêncio e a meditação eram de extrema importância.

 Pedro se mostrou muito interessado nos motivos de ele ter sido escolhido pra ter esse contato e nas razões pelas quais havia sido ele o eleito para essa tão especial tarefa, que lhe fugia a compreensão:

- Posso saber o porque de eu ter sido escolhido Max?
- Depende do porque você quer saber meu irmão? Sinta- se especial e saiba que tens algum valor para receber este presente!
- Sim, obrigado. Disso eu sei, fiz alguma coisa boa em outra vida ou sei lá eu.
- Exatamente., Disse eu rindo.
-  Não sei, acho muito estranho tudo isso. Apesar de estar me sentindo bem, como se estivesse em casa aqui ao seu lado, eu nem sei nada de você !!
- O querer compreender as coisas é sempre muito louvável meu caro amigo. Mas querer saber as coisas, para de antemão apegar- se ao resultado de suas ações, é nocivo e bloqueia nossa atitude evolutiva.
- Não quero prêmios e nem estou pensando no que eu vou ganhar com isso, e você deve saber disso, pois lê minha mente e sente minhas emoções mais profundas.
- Assim como você estou evoluindo em meu programa de vida, inserindo valor nele, creando valor em meio aos fatos da realidade material, seus valores e conduta neste Orbe Terrenal o levaram a este contato e, a partir de agora poderá conhecer muito mais a respeito de si mesmo,  dos deuses e do universo.
- Parece demais pra mim, um simples pescador.
- É um presente da Existência para você meu amado irmão.
- É a coisa mais incrível do mundo!
- Eu também tive muita ajuda em minha caminhada. O ciclo perfeito das energias cósmicas me fez estar aqui, e sou muito grato por isso. Em meu viver individual estou aqui e agora buscando sempre aprender, evoluir, como todos nós deveríamos fazer, um eterno aprender, crescer, evoluir. Em meio ao hábito busco a conexão perfeita a todo momento para ter a atitude necessária para a minha auto- realização.
- Hum.. Faz sentido, Max. E de novo agradeço!
- Você em seu programa de vida terrenal está dando um passo evolutivo muito importante na sua caminhada, neste Orbe e também além. É uma honra e um prazer imenso estar participando com você deste importante momento!
- Me diga ser estelar, quem é você? Pode me dizer? Sinto sabedoria em suas palavras e imagino que seja um Ser de muita luz que esteja aqui na frente. Você é uma espécie de anjo das estrelas ou coisa assim?
- Vou me apresentar oficialmente. Meu nome é MaxXxYu, comandante- chefe da nave Edenia e estou em Missão aqui neste Orbe terrenal.  Em meu planeta natal tenho cerca de trezentos e cinquenta anos terrenos. Nossa vida lá funciona em uma dimensão acima desta em que vocês vivem aqui e não estamos mais imersos na terceira dimensão, também chamada de universo holográfico pelos físicos e cientistas de seu planeta.
- Universo holográfico!, Exclamou Pedro espantado.
- Sim meu amado irmão. Muito ainda falaremos sobre isso, mas o importante é que você entenda que sou um ser vivo assim como você, que pensa, sente, sorri, chora..
- Sim, sinto muita humanidade em você.
-  Apesar da aparente distância entre nós, a partir de agora pode me considerar um irmão mais velho, ok?
- Ok, Max!
- Conte comigo, Pedro! Vim por sua causa até aqui, em breve entenderá o por quê.
- Por minha causa?
- Sim, por você e por toda a humanidade. Mas através de você muitas coisas se realizarão, em nome da Ordem Cósmica!
- A Ordem Cósmica..
- Sim, você lembra, não é mesmo?
- Um sentimento familiar me vem quando escuto esse nome. Senti ontem, quando me disse telepáticamente essa palavra, um estranho dever em mim com relação à essa Ordem.
- Falaremos mais da Ordem Cósmica mais à frente.
- Outra coisa..
- Diga irmão?
- Por que você aparenta ser mais novo que eu, apesar de seus cabelos prateados como a lua cheia no céu as suas palavras, que me lembram velhos anciões que muito viveram e experimentaram nesse mundão?
- Em meu planeta sou muito diferente do que me pareço aqui na Terra. Sou muito mais alto, robusto e também pareço um pouco mais velho., disse eu sorrindo.
- Interessante..
- Na verdade este é só um invólucro carnal que utilizo para poder estar aqui na 3D. São questões físicas que ainda serão descobertas por seus cientistas terreno,s que ainda estão no campo teórico quando se fala das múltiplas dimensões e ainda precisam entender e aprender muita coisa à esse respeito. Pouco a pouco muita coisa irá se revelar à você, basta que tenhamos serenidade e que caminhemos com vagar.
- Ok! Disse o pescador sorrindo. Confio em você, me sinto estranhamente confiante e meu coração diz devo escutar e obedecer suas palavras.
- Isso mesmo, meu nobre amigo. Mas pode seguir perguntando, se estiver ao meu alcance responder, o farei de bom grado!
- Quero saber tudo sobre você e seu planeta!, Disse ele quase pulando de euforia.
- Seja mais específico.
-  Por quê exatamente está aqui  meu amigo estelar?
- É uma longa história pescador. Por hora, saiba que você tem um papel fundamental nessa história toda!
- Max, porque eu? E porque sentia em minha alma um chamado estranho durante todos esses anos? Porque sempre soube em meu coração que algum dia saberia exatamente o que fazer para ajudar a humanidade?
- Você sabia que algo estava fora do lugar em tudo que você via e aprendia como sendo o modelo da realidade.
- Sim, Max. Sentia em meu íntimo à muito tempo que alguma coisa estava errada e que tinha que existir um outro lado da moeda, uma outra realidade. Mas não imaginava que a coisa era assim tão surreal. 
- É compreensível.
- Compreensível sim, para você que veio das estrelas! Mas e quanto a mim, fico perdido e boiando igual pescador que caiu do barco!
- Explico, irmão. Inseridos aqui no Orbe, nossas percepções ficam muito modificadas, irmãozinho. Mesmo sendo seres de origem estelar, não percebemos isso facilmente aqui de baixo. Entretanto, este orbe está passando por importantes transformações, mudanças radicais; Mudanças essas que são uma espécie de convite à sua civilização para integrar um grupo maior de sistemas planetários, que sempre existiu e estava esperando por vocês desde sempre. É como se vocês estivessem subindo de grau na escola, subindo do nível zero, ao qual ainda se encontram, até o nível 1 onde já se encontram planetas e civilizações mais evoluídas que esta aqui na Terra.
- Uau! Isso parece demais!
- Sim, é uma oportunidade de ouro para este Orbe planetárioe  para todos os seres humnos que estão de verdade interessados em evoluir. Essas mudanças incluem um despertar em massa, quem estiver pronto e puro o suficiente será afetado por essas mudanças, positivamente, claro. Já quem não estiver pronto, sofrerá, inconsciente, cada vez mais, torturado por demônios e monstros que ele mesmo creou. Usou do Poder Divino para se estragar e creou uma realidade trévica, ou seja, não será aprovado aquele que persistir no mal, simples assim.
- Fale mais sobre isso. É a separação do joio e do trigo que está escrito na Bíblia, não é mesmo? Finamente os Deuses vieram nos ajudar!
- Mais ou menos isso, Pedro! Devemos fazer a nossa parte. Nenhuma nave, nenhum Ser de luz vai descer do céu e ajudar quem não merece, pode ter certeza disto!
- Sim, sim.
- E a maioria da massa/ horda humana está completamente perdida, ignorante da verdade, comprometida com o lado negro da Força até os ossos; cada vez mais duro encontrar vasos purificados para estabelecermos alguma espécie de comunicação.
- Nossa, parece vergonhoso isso.
- É a verdade atual deste Orbe Terrenal; as trevas dominaram por aqui há muitos e muitos milênios atrás, e se recusam a sair sem oferecer resistência. Você e sua família são apenas mais vítimas desse Poder abusivo e domnador que fez com que este planeta estivesse como está, entregue ao caos e à desordem.
- Sim, é verdade.
- Meu jovem pescador, você bem sabe disto!
- É sinto na carne todos os dias as consequências dmau governo, que acabou deixando meu povo e muitos outros na mais completa miséria, a mercê de toda e qualquer força que possa nos destruir. Sem o apoio de nossos líderes políticos e sem nenhum apoio externo, estamos fadados a extinção. E para piorar, a natureza mudou muito nos últimos anos e, pelo menos por aqui, os recursos esão cada vez mais escassos. Nossos governantes e essas pessoas com muito dinheiro poderiam ajudar pelo menos um pouquinho, né?
- É, mas de nada adianta vibrar na mesma frequência desse pessoal é tudo que eles querem, que você se revolte e faça alguma besteira, e daí sim, te prendem, matam, enfim, somem com você.
- Nossa, que medo, Max!
- Devemos ser espertos, lembrar de nossos Mestres e Avatares sempre e assim tomar a melhor decisão sobre como nos comportar e até mesmo pensar no viver biográfico.
- Sim, mas que ódio que eu sinto deles! É incontrolável!
- O ódio nunca foi vencido com mais ódio. Ódio se vence com Amor.
- Verdade, eu entendo.
- Que tal uma pausa para curtir esse belo cenário e comer alguma coisa?
- Ok, estou mesmo cansado, mas comer o quê? Estamos aqui sozinhos longe de minha casa, e mesmo lá pouco ou nada tenho para oferecer.
- Fique tranquilo. Eu também preciso me alimentar e sei que você está de estômago vazio à muitas horas.
- Eu não posso oferecer nada, como sabe esamos passando uma situação bem difícil por aqui..
- Sim, não se preocupe com isso, eu já disse. Tenho uma surpresa para você!

Pressionei um botão em meu cinto e minha roupa de nativo, simples e humilde que vestia voltou à sua forma original, meu velho uniforme espacial, branco e com a insígnia da Confederação Intergaláctica no peito, em vermelho. A surpresa do jovem rapaz foi total. Depois, com rápidos movimentos retirei de um compartimento secreto em meu cinto algumas pastlhas de alimentação espacial, desenvolvidas em meu planeta natal para missões interestelares como essa. Pedro observava tudo com muita curiosidade:

- Isso é de comer?, Perguntou o rapaz, intrigado.
- Sim, apenas precisamos acrescentar água potável, que sempre carrego comigo em meu cantil.

Coloquei duas pastilhas em cima de uma pedra plana que encontrei próximo à nós, acrescentei um pouco d'água e em instantes, tínhamos dois belos e suculentos pedaços de pão para matar a nossa fome, que à essa altura já estava grande. Comemos em silêncio, ambos com sorrisos nos rostos e, durante toda a refeição, Pedro ficava olhando por diversos ângulos a comida, parecendo não acreditar ou confiar muito no que estava comendo. Eu me divertia muito com toda a situação.

Partilhando o pão em um caloroso silêncio, rimos baixinho muitas vezs juntos e, depois de agradecermos em prece pela refeição recebida, meditamos ali por mais alguns momentos.

A lua brilhava intensamente no céu, refletindo sua luz no mar como se pintasse um caminho prateado rumo ao infinito. Sentamos confortavelmente em meio às dunas de areia, sentindo a brisa do mar leve e serena. A Paz dos Mestres agora era nossa companheira constante, e isso me fazia sorrir a cada vez que via um sorriso verdadeiro e tranquilo no rosto daquele jovem e iluminado pescador.






====================================================








CaP 5 ________________________  Viagens Mentais




O dia estava caindo e o pôr do sol estava se anunciando no céu, com um intenso brilho alaranjado que iluminava todo o povoado, como se estivesse em uma pintura. Era um quadro belo e magnífico.

Decidimos caminhar mais um pouco em direção à um amontoado de gaivotas que grasnavam e se debatiam em volta de um peixe morto. Com vagar, comecei a explicar lhe algumas coisas sobre os bloqueios cognitivos que temos aqui na Terra e os porques de não termos lembranças de nossa herança estelar, herança essa que faz de todos nós Seres especiais perante o Plano Maior e o Universo que nos cerca.

-  Em última análise somos todos um, lembra?, continuei, pausadamente, deixando com que a calma do lugar nos desse a serenidade necessária para melhor compreensão.
- Sim.
-  Mas dentre a massa/ horda humana existem poucos os que possuem a consciência deste fato, ainda menos ainda os que possuem um contacto real e sincero com essas Energias Cósmica de amor e sabedoria. A maioria  possui apenas a chamada 'consciência simples', e esses ainda estão muito animalizados, por assim dizer, para serem auxiliados conscientemente por Seres mais elevados.
- E esses muitos nada sabem sobre a vida, o amor e a consciência Cósmica?
- Pouco, muito pouco. Acabam por colher os amargos frutos de uma vida de repressão, egoísmo e ilusão, pois sem conhecimento a vida fica ainda mais difícil de se viver e, por mais que s queria fazer o certo e o bem, não sabem nem sequer o verdadeiro significado da palavra "querer" e seus padrões de 'bem' e 'mal' foram programados em suas mentes de forma errônea.
- E o que é querer de verdade max?
- Querer, na linguagem dos Mestres Cósmicos, é aplicar o que se sabe. Se não se sabe nada, ou pouca coisa, não se pode querer muito, não é verdade?
- É verdade. Nossa, nem desconfiava disso. Também fazia parte da massa de pobres ignorantes do saber até te conhecer, pelo que vejo.
- Fique tranquilo, está caminhando na direção certa e isso é importante. Direção é mais importante do que velocidade, especialmente no seu caso, Pedro.
- E como será que poderei ajudar nisso tudo Max, se me sinto tão pequeno perante essas coisas. Sou simples, com pouco conhecimento e sinceramente não sei ainda o que estou fazendo aqui. Pareço com esses de que falas, de consciência baixa.
- Consciência simples! disse eu rindo. E você, apesar de não ter tido acesso ao conhecimento escolástico nesta vida, possui um imenso e vasto saber universal. Tem a consciência de que não está sozinho neste vasto Cosmos e, ao seu modo, adquiriu uma consciência mais abrangente, Basta lembrar disso Pedro!
- Como assim, me explica Max!
- Vou ajudá lo, fique tranquilo. No momento certo, as coisas naturalmente se mostrarão a você.
- Mas como vou ver tudo isso se me sinto como esses seres que você se referiu antes, de pouca consciência. Missão, o que significa isso?
- Missão é o que deve ser feito, e bem feito.
- E esses outros planetas, seres extraterrestres.. Nem sequer consigo imaginar como seriam outros planetas e mundos habitados e isso parece loucura demais pra mim.
- As coisas vão se assentando com o andar de nossa caminhada meu jovem. Nem de longe você faz parte da horda/massa humana e sempre sentiu isso dentro de você. Esses nem sequer desconfiam de sua origem estelar, seguem como gado ao matadouro seguindo as ordens de seus superiores sem nunca despertar seu verdadeiro poder. E desses não se pode esperar muito, meu amado irmão.
- E de mim, o que esperam?
- Torcem para que eu e você possamos, juntos, cumprir com a tarefa que nós nos dispusemos a fazer.
- Nos dispusemos? Eu acredito, mas não lembro de nada e não sei exatamente do que fala quando usa a palavra missão, Max. Eu sinto que sim, sinto que de verdade eu fiz isso, de alguma forma me comprometi com alguma coisa, mas.. Não sei, não consigo explicar, é tudo muito vago pra mim!
- Olhe dentro de você, preste atenção ao som do seu coração, meu amado amigo. Lá dentro você encontrará todas as respostas, bem dentro de você mesmo. Somos universos em miniatura, somos mini deues, por assim dizer e nosso cérebro é uma máquina exponencial perfeita. Com ela, você pode acessar mais informações do que imagina, ativando os componentes certos!
- Complicado tudo isso, me sinto conversando com uma ineligencia artificial, uma espécie de robô, pois sua linguagem é muito avançada e cheia de termos científicos que não conheço.
- Sim Pedro, falo de coisas simples, apenas uso uma linguagem um pouco mais formal., disse eu sorrindo. Na simplicidade dos fatos, basta fechar os olhos e você encontrará muitas respostas à suas inquietações.
- Posso fazer isso agora mesmo?
- Agora mesmo, evidente que sim! Qualquer hora é hora para uma boa meditação, e esta será muito especial. Use sua imaginação, relaxe e deixe- se levar, eu estarei o tempo todo aqui com você.

Pedro olhou para o horizonte e parecia já não escutar minhas palavras, absorto em seus pensamentos. Parecia querer lembrar de algo no passado; no começo um pouco nervoso, seus sentimentos controversos e suas expressões eram das mais variadas, mas ao fim de alguns minutos de inquitação, o pescador tranquilizou suas emoções e pouco a pouco as imagens mentais ficavam mais e mais claras. Flashes e relances de cenas estranhas iam e vinham em sua mente. Gentilmente o interrompi dizendo:

- Sim Pedro. Eu sei que você não consegue imaginar e nem lembra de ter feito nenhum acordo como esse. Mas sinta aí dentro, você sabe que minhas palavras são verdadeiras e essas imagens confusas estão apenas passando, não tenha medo. Deixe- as passar, não se apegue à elas, simplesmente observe; com calma e serenidade toda essa recordação vai vir à tona em você, basta querer de verdade.
- Eu quero, de verdade. Quero despertar essas memórias de quem sou eu, quero saber de tudo!, disse Pedro, um pouco eufórico e confuso.
- E saberá irmão, no momento certo. Acredite em mim, continue seu relaxamento, estamos apenas começando.
- Sinto que te conheço Max, desde a primeira vez que nos falamos. Quando vi você aquela noite eu não disse nada, mas agora digo a verdade. Achei seu rosto muito familiar e seu jeito de ser me lembra muito alguma coisa que não sei explicar.. Uma lembrança boa, perdida e que não consio entender, só sinto. E gosto muito de sentir!, disse sorrindo o rapaz.
- Talvez, talvez.., respondi, em tom bem humorado. Talvez você tenha razão, meu amigo.
- Talvez? Ai meu deus, esse "talvez" me parece muito com um sim! Diga a verdade amigo estelar, já nos vimos antes, já tivemos alguma ligação num passado que eu não conheço?

Me senti constrangido, pois o rapaz me pegou de surpresa. Jamais esperei que tão rapidamente ele pudesse lembrar de coisas assim. Meu amado irmãozinho estava realmente lembrando- se de mim e toda nossa ligação do passado longínquo. Não sabia ao certo se era o momento de revelar tais informações, pois recém havíamos nos encontrado e as coisas estavam indo rápido demais. Tentei mudar o assunto, mas não tive como recuar pois o pescador continuou, dessa vez mais sério e incisivo:

- Me sinto muito a vontade ao seu lado, é como se fossemos realmente bons amigos há muito tempo. Isso faz sentido, né? Por favor, me diga a verdade!
- Sim irmão. Faz total sentido e não esperava que fosse assim tão rápida sua percepção de nossa ligação.
- Por favor Max, me sinto pronto para saber mais. Quero saber, quero ver, eu imploro comandante- chefe MaxXxYu, me ajude! Me ajude a lembrar mais claramente quem eu sou!

Uma luz azul brilhou no céu, era um sinal evidente. Os Mestres estavam conosco e este jovem pescador estava mais preparado do que eu pensava para esta Missão. Sem hesitar encostei levemente meu dedo indicador na testa de Pedro, fazendo com que uma luz, de mesma cor, brilhasse em sua fronte.

- Feche os olhos meu amado irmão, e relaxe. Imagine uma luz linda e brilhante ao seu redor, circulando seu corpo. Você fará uma  viagem agora, e não importa onde estiver no decorrer desta incrível viagem, a qualquer momento que desejar, basta abrir seus olhos e estará de volta aqui neste lugar, em total segurança.

Uma imensa paz tomou conta de nós. Com um balançar de cabeça o jovem pescador consentiu com a viagem e fechou seus olhos, suavemente. E a visão que dali veio à sua mente é das mais maravilhosas que se pode descrever.

Pedro havia sido levado mentalmente até nosso distante e amado planeta natal, MudharTa, exatamente na época de nossa partida para este Orbe, há mais ou menos 12 mil anos atrás, pelos cálculos da contagem terrestre de tempo. Não pude conter a emoção em meu peito ao ver meu saudoso lar novamente, e tive que me controlar para não comprometer a viagem do pescador. Ele precisava muito de mim naquele momento e eu precisava estar focado e tranquilo para melhor ajudar.

Ao seu redor a paisagem era espetacular, uma luz intensa e branca iluminava todo o lugar. Luzes de todas as cores brilhavam ao redor de uma cidade imensa, que se via ao longe. Naves e carros voadores circulavam por todos os lados, com uma sincronia e harmonia impressionantes. Em um instante, Pedro foi transportado, em incrível velocidade, até aquela bela cidade de luz. Com os olhos bem abertos, contemplando o magnífico cenário, o jovem pescador sorria como uma criança que volta ao lar.; sentia seus pensamentos e pude perceber que ele estava reconhecendo aos poucos o lugar, memórias à muito adormecidas estavam aflorando em sua mente. Aproximando- se da cidade, ele pode ver algumas pessoas caminhando felizes, tranquilas. Via também outras trabalhando, produzindo sempre com alegria e expressões de felicidade e paz. Caminhando um pouco mais, visualizou algumas crianças cantando, em um parque muito arborizado que se destacavam em meio ás ruas da cidade. A música suave e agradável daquelas crianças parecia soar, misteriosamente, por todos os cantos daquela cidade.

- Eu conheço esse lugar! , disse Pedro sorrindo. É familiar, me sinto em casa.. Mas também com uma estranha angústia querendo tomar forma dentro de mim.
- Relaxe Pedro. Você está seguro aqui comigo na praia, apenas sua mente está aí, seu corpo psíquico.. A qualquer momento que queira, apenas abra seus olhos e estará de novo aqui na praia. Mas vamos um pouco mais, eu estou com você. Você consegue ver onde está?
- Sim, eu vejo uma fila de gente. Estão todos recitando uma espécia de oração e caminhando em direção à um ipo de igreja, mas muito maior.. Me parece mais uma espaçonave gigante.
- Olhe com atenção. Vê algum rosto familiar?
- Humm, não.. espere, tem alguém ali na frente que parece que conheço, Max !!
- Você conhece, lhe é familiar?
- Sim, e seus olhos emanam um ar de carinho e afeição. Me lembra uma pessoa, alguém que muito conheço.. Confio nele, estranhamente!
- Chegue mais perto.

No momento em que o rapaz se aproximou, lágrimas verteram de seus olhos. Nem mesmo eu pude resistir a tamanha emoção.

- Meu deus do céu !!, exclamou alto, o pescador. Macedon, meu grande amigo Macedon, eu me lembro!!
-Quem está com ele agora? Observe à sua volta, preste atenção e me diga, o que vê?
- Por todas as estrelas do céu! MaT, Anji, FurTer, Dansana, KaYan, Macedon .. Meus amados irmãos de MudharTa!
- Sim, Pedro. Nossos amados irmãos de MudharTa!
- Max aqueles dois que estão mais a frente, conversando com um dos velhos anciões.. Somos nós dois?
- Sim. Chegue mais perto, tente escutar a conversa,  eles não podem perceber sua presença. Vá tranquilo e observe, sobre o que eles estão falando?
- A Missão! Estão falando sobre a Missão que vamos cumprir em Urântia. Urântia, o que é isso?
- Urântia é o nome de deste planeta, é como é chamado este Orbe pelas Federações Estelares.
- Sim, eu lembro! Incrível, estou lembrando de tudo, Max!
- Eu disse, você lembra? Agora vá com calma e controle seu emocional, pois esta viagem está perto do final e quero que você sugue a máximo de informações possível desta experiência, Pedro.
- Você é mesmo nosso amado comandante, MaxXxYu.. Quanta honra em saber de tudo isso, lembrar de nossa história.. Surreal tudo isso, meus olhos quase não acreditam no que estão vendo!
- A honra é minha Pedro.
- Pedro..
- Não é este o seu nome?
- É sim, este é meu nome aqui na Terra.. Mas sinto que era chamado por outro nome em nosso planeta.. Quase posso dizer, está na ponta da língua, mas não consigo lembrar!
- Esforce- se, você consegue sim! Lembre- se de todas as vezes em que chamamos seu nome nas diversas situações diverentes em que tivemos juntos, meu amado irmão!
- Sim..
-  Recorde sua família, seus entes queridos e amigos.. Como chamavam você por lá, irmãozinho?
- Eu lembro.. Sim, sim, mil vezes sim!
- ErK! Meu nome é Erk, não é mesmo?
-  E esse foi seu nome por muitos e muitos séculos em MudharTa, por isso tanto o marcou.
- Sim, agora sim eu me lembro! Capitão Erk Dinn- La, Oficial Timoneiro da Nave Espacial Edênia!
- Nossa tão amada nave, que você via brilhando no céu desde muito cedo em sua vida terrena. Como pode ver, nada foi por acaso.
- Nossa, estou tendo uma enxurrada de lembranças, Max.. Por favor me ajude!
- Respire fundo, Pedro, concentre- se nas imagens ao seu redor e deixe de lado as emoções e recordações mais detalhadas por enquanto.Vamos manter o foco.
- Não consigo, é mais forte do que eu. Meu deus, eu sou seu braço direito nessa história toda, né?
- Por favor, controle suas emoções, meu irmão!
- Eu lembro..  Escolhi você entre muitos outros comandantes de nosso planeta para vir pra cá.. Por quê, Max? Por quê eu te escolhi, como isso aconteceu, não faz sentido! Você é o chefe desta Missão, não é mesmo?
- Calma Pedro. Seu emocional está se desequilibrando, e assim você vai acabar voltando ao corpo físico abruptamente, respire fundo e tente relaxar por uns instantes.
- Eu escolhi você, especialmente você e, de alguma forma sinto que por minha causa todos vocês embarcaram para este Orbe.. Me sinto angustiado, um sentimento de culpa e pesar.. O que está acontecendo?  Como assim,  que loucura é essa, Max?

Pedro parecia aturdido com tantas informações e memórias do passado sendo absorvidas. Fiquei com medo de ele voltar de repente ao corpo físico, de modo abrupto. Isso poderia lhe causar um mal estar e possível trauma, obstruindo a fluidez de suas próximas viagens mentais. Comecei a aplicar- lhe passes magnéticos de calma e bem estar. No mesmo instante, como que por passe de mágica, o rapaz disse:

- Max, eu estou aqui. E vou ajudar a concluir nossa Missão com todas as forças que existem em meu Ser, eu prometo!

Tive que refletir muito para entender o que estava acontecendo. Pedro estava realmente vendo o local de sua origem, seu planeta natal, mas não em tempo real. Estavámos em um passado longínquo e sua presença estava bloqueada aos demais seres de lá, mas suas memórias e recordações passadas, por algum merecimento que está além de minha compreensão, vieram em alta velocidade para sua mente. Por mais que parecesse a mim que ele não suportaria, depois de alguns instantes a paz e serenidade voltaram à seu Ser, e eu desconfio que seja um sinal de que teremos êxito em nossa busca. Ele era realmente um indivíduo de muita luz e poder, não foi por acaso que aceitei esta Missão à seu pedido; desde o começo minha intuição gritava que este Ser era especial e que eu deveria me comprometer em ajudá- lo no que me fosse possível. Apesar de, em meio à meus sofrimentos e lamentações após a queda e consequente perda de meus tripulantes, por muitas vezes eu ter duvidado da veracidade de meus instintos mais profundos, a cada momento ao lado de Pedro vejo que sim, minhas suspeitas eram verídicas: Ele era sim, um Ser especial e tudo daria certo no final.

Pedro estava prestes a acordar. Mesmo assim, imagens passavam à sua volta, rapidamente, enquanto fazia o caminho de volta à seu corpo material. Eram naves decolando, outras esperando ordens para alçar vôo. Muita movimenação, preces, pessoas partindo, despedidas.Volitou no tempo/espaço e, em um instante, antes de voltar a ao corpo físico totalmente, ele ainda pode vislumbrar seu próprio corpo, mais alto, robusto e bonito, deitado de olhos fechados nas cãmaras criogênicas à bordo de nossa nave. Ao rapaz, parecia estar dormindo em uma espécie de geladeira. Estava rodeado por outros, que lhe pareceram extremamente familiares. Éramos 13 no total, e alguns de nós ele havia visto conversando descontraídos, pouco antes do embarque. sentiu no seu íntimo a ligação amorosa e de rspeito profundo que existia entre eles.

Prestes à acordar, ainda viu de passagem um ser, que estava sentado em uma cadeira como se navegando a nave em que se encontravam deitados, com olhar tenso e ar de seriedade.
Num sobressalto, acordou.

- Max, eu me lembro!, disse Pedro com os olhos saltando da face. Você veio pra nos buscar !!
- Sim irmão.
- Meu deus, como aconteceu, como nos perdemos aqui?
- Viemos em missão e é chegada a hora da retirada. De nada adianta eu voltar à MudharTa sem meus amados irmãos da luz. Há mais de 2 mil anos que eu estou voando, solitário, observando a cada um de vocês neste Orbe planetário. Muito tempo se passou desde a grande rebelião de Lúcifer, que aqui ficou conhecida como a famosa " Guerra nos Céus ", e que foi determinante para a queda e prisão de nossas halmas aqui. Chegou a hora de salvar cada um de nosso irmãos de uma vez por todas desse cárcere planetário que foi imposto a vocês, e você vai me ajudar a resgatar todos os outros!
- Sim, estou com você, afinal, estamos em Missão!
- Sim, Missão essa que você viu sendo decretada em  massa em nosso planeta natal em sua visão. Aquelas pessoas e aquele movimento todo era a saída de um grupo imenso de servidores da luz, em Missão de evolução em Orbes mais densos que necessitavam de apoio para seu crescimento e ascenção aos Planos Maiores.
- Sim, consigo lembrar alguma coisa. Sinto verdade novamente em suas palavras, meu bom amigo.
- Sim, é fato. E você é o primeiro de vários irmãos nossos a despertar e não foi por acaso. Como viu em sua viagem, você tem um papel especial nisso tudo. Com calma entenderá, tudo na sua hora. O mais importante neste momento é ação. O tempo urge e nossos irmãos precisam de nosso apoio o mais rápido possível!
- Nossos irmãos Max.. Onde estão eles?
- Calma, sei a posição de cada um deles aqui neste Orbe e não falharemos com eles. O Grande Pai Celestial está conosco, e jamais nos daria uma missão sem antes preparar um caminho pelo qual suas ordens poderão ser cumpridas.
- Venha cá meu comandante, deixe me abraçá- lo bem forte! , disse Pedro com forte emoção. Que saudade grande irmão! E que os Mestres estejam presentes hoje e sempre!
- Amém, e que assim aconteça!

Com lágrimas nos olhos ficamos ali abraçados, por tempo o suficiente para para presenciarmos um belíssimo nascer do sol naquela praia abençoada. As aves grasnavam por todo lado, e nós, em um silêncio respeitoso ficamos ali, fazendo parte daquele grande e magnífico cenário e sabendo que existe muito mais Realidade do que nossos reduzidos cinco sentidos podem perceber.


                 *
              *    *

Nenhum comentário:

Postar um comentário